1280px-Flag of Brazil.svg     Bandeira-dos-Estados-Unidos-2000px  

Mídia & ResenhasMídiaASK magazine (NASA)

ASK magazine (NASA)

NASA_articleGames at Work: How to Recognize and Reduce Office Politics, by Mauricio Goldstein and Philip Read (San Francisco: Jossey-Bass, 2009)

Goldstein and Read analyze the all-too-common games that undermine the morale and effectiveness of organizations. "Gotcha" (identifying and communicating other people's mistakes), "Marginalize" (exiling people who don't "fit"), and "No Bad News" (suppressing negative information) are among the interpersonal games they consider. They also describe games played by leaders, including "Kill the Messenger" (blaming the person who brings you bad news) and "Token Involvement" (pretending to consult with people after you've made up your mind).

The authors know how hard it is to stop game playing once it becomes part of an organizational culture, but they offer solid advice on how to try. Recognizing which game is being played is key. That makes it possible to short-circuit the game by calling attention to it or choosing not to play the expected "role." Anyone who has spent time in organizations will be familiar with some of these games. Games at Work is a helpful guide to countering their destructive power.

Click here for the original article at nasa.gov
 

Compre online agora!

Submarino

Livraria Cultura

Elsevier

Saraiva

Jogos do Mês

Jogo L4 - Envolvimento de Faz de Conta

Para jogar o Envolvimento de Faz de Conta, o gerente realiza pesquisas de opinião, reúne grupos de discussão ou convoca reuniões de envolvimento para comunicar que "sua opinião conta", mas tudo isso tem como objetivo apenas fazer com que as pessoas se sintam participantes, em vez de fazê-las participar realmente. A verdadeira intenção é apenas evitar queixas e fazer com  que os gerentes possam mostrar para seus chefes que estão "fazendo a coisa certa" - engajando seu pessoal no processo de tomada de decisões. Esse mesmo jogo ocorre quando os líderes envolvem superficialmente os subordinados diretos, solicitando seus pontos de vista sobre a estratégia do departamento, mas confiando apenas na propria opinião pessoal. O cinismo acaba sendo a resposta final dos subordinados a esse tipo de jogo, e perde-se  o respeito pela liderança. E a coisa é talvez ainda pior quando o gerente necessita de que seu pessoal se mostre realmente comprometido e colaborativo em um grande projeto, e encontra dificuldade em assegurar seu envolvimento.

Elogios sobre Jogos Politicos

jacopoUma leitura fantástica não apenas para líderes e executivos seniores, mas também para os profissionais que querem crescer dentro de organizações complexas. Goldstein e Read dissecam a dinâmica interpessoal que afeta o desempenho da empresa, proporcionam uma estrutura conceitual para compreensão dos jogos praticados nas empresas, e oferecem ferramentas práticas para correção desses comportamentos e aumento da eficiência.

Jacopo Bracco vice-presidente executivo, DIRECTV Latin America

Leia mais...
Topo

Todos os direitos reservados © Jogos Politicos    -   Desenvolvido por Infoture