1280px-Flag of Brazil.svg     Bandeira-dos-Estados-Unidos-2000px  

Mídia & ResenhasMídiaTRAININGmag Review

TRAININGmag Review

Kassia Shishkoff

Abril 13, 2009

Training mag - Games at Work ReviewWith the poor economy, stress levels are high and job security is down. In these conditions, workers are more likely to play "office games"—hidden agendas, manipulations and basic unproductive and malicious behavior—that offer them an escape from the workplace.

In the new book Games at Work, authors Mauricio Goldstein and Philip Read identify and address many of these office games created by today’s environment. The authors kick off the book by explaining what office games are and defining a few specific ones and then get right into how to go about avoiding these problems.

A few common office games include "Gotcha," where employees act like catching someone else’s mistake is an accomplishment; "Blame," in which people blame scapegoats to excuse themselves; and "Pessimism," when individuals make a task seem more difficult to lower expectations.

Goldstein and Read explain the negative impacts games can have on a business and why they have such an effect. The authors then urge the reader not to participate in such games and outline effective ways to carry out their choice, using the acronym AIM—Awareness, Identification, Mitigation—to outline appropriate steps to take.

Games at Work is full of bullet points, checklists and challenges directed at the reader. These make it simple to remember important ideas and easy for the reader to interact with the book, self-evaluate and improve.

 

Click here for the original article at trainingmag.com.

Compre online agora!

Submarino

Livraria Cultura

Elsevier

Saraiva

Jogos do Mês

Jogo L4 - Envolvimento de Faz de Conta

Para jogar o Envolvimento de Faz de Conta, o gerente realiza pesquisas de opinião, reúne grupos de discussão ou convoca reuniões de envolvimento para comunicar que "sua opinião conta", mas tudo isso tem como objetivo apenas fazer com que as pessoas se sintam participantes, em vez de fazê-las participar realmente. A verdadeira intenção é apenas evitar queixas e fazer com  que os gerentes possam mostrar para seus chefes que estão "fazendo a coisa certa" - engajando seu pessoal no processo de tomada de decisões. Esse mesmo jogo ocorre quando os líderes envolvem superficialmente os subordinados diretos, solicitando seus pontos de vista sobre a estratégia do departamento, mas confiando apenas na propria opinião pessoal. O cinismo acaba sendo a resposta final dos subordinados a esse tipo de jogo, e perde-se  o respeito pela liderança. E a coisa é talvez ainda pior quando o gerente necessita de que seu pessoal se mostre realmente comprometido e colaborativo em um grande projeto, e encontra dificuldade em assegurar seu envolvimento.

Elogios sobre Jogos Politicos

jacopoUma leitura fantástica não apenas para líderes e executivos seniores, mas também para os profissionais que querem crescer dentro de organizações complexas. Goldstein e Read dissecam a dinâmica interpessoal que afeta o desempenho da empresa, proporcionam uma estrutura conceitual para compreensão dos jogos praticados nas empresas, e oferecem ferramentas práticas para correção desses comportamentos e aumento da eficiência.

Jacopo Bracco vice-presidente executivo, DIRECTV Latin America

Leia mais...
Topo

Todos os direitos reservados © Jogos Politicos    -   Desenvolvido por Infoture